domingo, 8 de junho de 2008

Evangelho tipo "feira livre"


"Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo." Lucas 14:26


Fico analisando tudo que tem sido pregado nas igrejas e percebo que existem os mais variados apelos para que as pessoas venham, entrem e permaneçam...o negócio agora é inchar as igrejas(e eles chamam isso de crescimento), ou seja, aumentar a quantidade de pessoas para ostentar um “sucesso” em seus “ministérios”...sem preocupação com a qualidade daquilo que se ensina...fazem de tudo, menos pregar a PALAVRA de Deus: utilizam técnicas de marketing, técnicas de vendas, técnicas para multiplicar membros, técnicas psicoterápicas, apelos emocionais, juras de prosperidade, curas, resultados instantâneos, bênçãos, vantagens, prometem resolução para frustrações, casamentos para as desiludidas, riquezas para os endividados, enfim, oferecem de tudo, como numa feira livre, basta procurar o que se precisa e ali terá a cura para todo mal...ensinam ao povo a se servirem de Deus, e não servirem a Deus. Observando o versículo que postei acima podemos perceber que não escutamos ninguém dizer: "Venha servir a Cristo, ainda que isso requeira de voces aborrecer alguns, e até a sua própria vida!!". Não escutamos ninguém escrever em cartazes e faixas coisas do tipo: " deixe de ser senhor de sua vida e passe a ser servo daquele que é o Senhor dos senhores", ou " deixe tudo e venha percorrer o caminho que apesar de ser estreito é o que leva à salvação", ou " aqui não temos ouro nem prata, mas temos a oferecer palavras de vida eterna". Ou porque não temos grandes congressos com temas como:

" chega de hipocrisia e religiosidade, viva o evangelho de verdade!", ou " não importa o título que temos, pois no Reino de Deus o maior é o que mais serve".Esse evangelho tipo "feira-livre" não leva ninguém à Deus.Leva sim as pessoas permanecerem servindo a um outro deus: seu próprio ventre!!!!! Deus não é "gênio da lâmpada”... Quem oferece a glória e as riquezas desse mundo é o deus desse século: satanás... Não foi isso que ele ofereceu a Jesus no deserto????????

As igrejas estão lotadas de pessoas que aprendem todas as regras, são entupidas de dogmas, mas continuam distante do evangelho da Graça.Nunca passaram pela cruz. Nunca perceberam que somente através de Cristo somos reconciliados com Deus, retirados do Império das trevas e transportados para o reino do filho do seu amor, que Jesus é o único caminho que nos leva a Deus. São ensinados a praticarem todo tipo de sacrifício próprio, mas não reconhecem que o único sacrifício pelo qual importa que sejamos salvos é o sacrifício de Cristo, onde tudo foi consumado. Eles não são levados a conhecerem a Verdade. Não passam por esse único Caminho que é Cristo por que estão preocupados em barganhar as bênçãos, reivindicar de Deus os “direitos de filhos do Rei”, aprenderam que seus atos proféticos é que trarão à existência os seus desejos, querem “determinar” suas vitórias, e com isso, permanecem longe de Deus. O mundo gospel “cor de rosa”, com todas as suas ilusões e fantasias, tem sido como fumaça na vida de toda essa gente, fazem muito barulho, muito show, muita “performance” espetacular, muitos efeitos especiais para fascinar o povo, mas não há verdade, não há vida, está distante do Caminho. Porém o pseudo-evangelho tipo feira-livre continua em alta, por que este atrai as multidões, oferecendo de tudo que agrada ao ego do homem, oferecem um “deus” ao gosto do freguês, vendendo seu nome a preço de banana. E nesse engano, os homens aprendem diversos vícios religiosos, decoraram todos os chavões evangélicos, dançam, cantam, pulam, esbravejam... porém o mais simples e indispensável não percebem: que o verdadeiro evangelho, sem plumas e paetês, mas com toda sua simplicidade, é que salva o pecador.

8 comentários:

Ruy Marinho disse...

Excelente artigo.

Realmente este "evangelho feira-livre" é o que mais ocorre nas "igrejas institucionais".

Continuemos a defender o Evangelho de Cristo destes ventos de doutrinas.

Graça e Paz!

www.bereianos.blosgpot.com

marco antonio disse...

Viviane, é pelo verdadeiro Evangelho que lutamos. Também sou professor da Escola Domonical. é preciso pregar a Palavra sabendo que ela não voltará para Ele vazia. Faço este rápido comentário, porque já está na hora de ir pra igreja, mas quero conhecer melhor o blog e a comunidade. Deus te abençoe neste propósito que é de Deus.
Em Cristo, Marco Antonio

Zero disse...

Nessa feira tem de tudo! É só procurar que vc encontra!
Difícil é encontrar salvação, pois o único que pode dá-la é Jesus, e Ele não permitiu que se fizesse comércio na Casa de Deus...

Marcos Lemos disse...

Viviane,
Parabens pelo artigo e pela sobriedade de suas palavras... As comunidades cristãs precisam mesmo de pessoas com sua maturidade.

Parabéns pelo Blog!

Depois, visita o meu tb:
lemosideias.blogspot.com

Steff disse...

Cara, vc falou td.
Os evangélicos não percebem o quanto estão longe do evangelho puro e simples.
Que Deus nos ajude a permanecer longe desse evangelho sem sal vivido hj pelos crentes, e que nos fortaleça para aguentar as pedradas que nos atacam por nossos devaneios.
A Paz!!

paolibiologo disse...

ótimo artigo, relata bem a situação atual do movimento "protestante" que vivem uma religião totalmente diferente do cristianismo.
Gostaria de saber, na sua opinião, o que vc faz(além do blog) e o que podemos fazer para combater tais hereges.

Ethan disse...

Barganhadores do Evangelho, zombam de Deus como se Ele não existisse ou fosse um mito.
"Credes em Deus? Até o diabo crê e treme."
Eu acredito muito no ditado: um dia a casa cai. E tomara que caia!
Moisés viu a Deus e ficou radiante, Abraão viu a sombra de Deus.
O que é o homem hoje pra achar que tem o poder de Deus? Estúpidos, tolos, são todos pó, fracos, são homens incansáveis atrás de riquezas e status.
Um dia a casa cai.

claudio disse...

lamentavel mas a realidade e essa ai mesmo palavra por palavra por esse motivo os evangelicos estao perdendo sua identidade e sendo zombados pelo mundo

praticamente tudo igual